Sejam muito bem vindos ao MBBR, o primeiro site dedicado a Millie Bobby Brown. Aqui você encontrará notícias, vídeos, uma vasta galeria de fotos em HQ e todo o tipo de informação sobre a Millie. Você pode enviar sugestões de notícias e falar conosco através da aba do site. Fique a vontade para desfrutar de todo o nosso conteúdo, também nos siga nas redes sociais para ficar ainda mais informado, esperamos que gostem e voltem sempre!
Você esta lendo:
30.11
Filed in: entrevistas

Ontem foi divulgado no portal da GQ magazine uma entrevista maravilhosa com a Millie Bobby Brown. Nela, a jornalista descreve um pouco do seu dia com a nossa estrela e detalha alguns de seus hobbies e hábitos favoritos como a prática do Muay Thai, suas experiências como uma “criança normal” e uma aula de biologia um tanto quanto… desconcertante. Confira abaixo a matéria completa legendada pela nossa equipe e divirta-se!

Ela está cercada por uma pequena multidão numa esquina do Lower East Side, em Manhattan. Um fotógrafo tira fotos e entre alguns cliques elogia: “Lindo, perfeito.” Turistas param para tirar algumas fotos. Sua mãe está parada num lugar próximo com um sanduíche e batatas fritas, cujas ela belisca entre uma foto e outra.

Ela está toda maquiada, com o cabelo profissionalmente e perfeitamente arrumado — ela passou duas horas no “glamour” antes de fazer a photoshoot para a GQ. Ela se inclina para a câmera, fazendo aquelas expressões de modelo. Ela dobra um pouco os joelhos e coloca uma das pernas para o alto. É uma perna bem fina. E na verdade, vendo ela agora perto do fotógrafo, ela é bem baixinha. Praticamente um metro e meio de altura. Ela é Millie Bobbie Brown, a estrela bastante precoce de 12 anos do hit inesperado da Netflix “Stranger Things”.

Brown tem a segurança de um ator veterano. Mas às vezes a infantilidade não resiste e acaba transparecendo, porque, você sabe, ela é literalmente uma criança. A profissional, por uns instantes, possa talvez explicar o porquê de ter sentimentos mesclados sobre o tratamento do Sea World com seus animais. Mas a garota, no entanto, ela irá te contar essa história: “Nós fomos para o parque juntos, e eu tive um pouco de falta de ar, e a amiga da minha irmã passou mal.”

Para quem não viu a série ainda: Depois que um amigo próximo desaparece, alguns nerds jogadores de Dungeons & Dragons – e uma garota monossilábica com a cabeça raspada e superporderes, que seria Brown — cuja escapou de uma organização governamental suspeita. Como um novo grupo de Goonies, eles vão atrás do amigo, caem de suas bicicletas várias vezes, e finalmente descobrem que seu amigo está preso num universo paralelo. E sua nova amiga de cabeça raspada é a única que pode ajuda-los. Se isso tudo soa estranho, é porque realmente é.

Para os meninos da série, a grande maioria é menos experiente que Brown, ela é como um elo entre eles. “Eles são doidos,” Brown diz mais tarde. “Eu os mantenho nos trilhos.”

Pelo menos parte do ar gentil de Brown pode ser atribuída ao seu sotaque. A atriz nasceu na Espanha e tem pais britânicos, e viveram no sul da Inglaterra antes de se mudarem para Orlando, e finalmente para Los Angeles. Ela tem uma voz delicada, como de alguém que gosta de cupcakes — a voz de alguém que diz algo do tipo, “Eu sou uma filha muito boa. Mãe, eu sou uma boa filha? Mamãe?” (Sua mãe confirma que sim.) “Minha família é muito tradicional,” diz ela. Seu pai, sentado bem atrás dela, interrompe com um ar de deboche, “Você está brincando, né?” “Em algumas partes,” Brown se rende. “Meu irmão é muito comunicativo.”

Ela soa mais parecido com o irmão do que com o pai. (Nota: Brown, a profissional.) Mas a pose não dura muito. Quando ela começa a falar sobre algo que ela realmente tem muito interesse, parece que ela já não se importa mais com o que vão pensar e com as câmeras. Tipo quando ela falou sobre ter feito um bolo no Duff’s Cake Mix em L.A. com sua amiga Maddie (Ziegler, a dos videoclipes da Sia). Seus olhos ficam arregalados, e ela para de respirar entre as frases. “Nós fizemos um bolo dos Minions,” diz ela. “Foi muito bom, mas a Maddie estava no controle de tudo. Eu queria ajudar, mas na maior parte do tempo eu só fiquei assistindo. E eu comi a maioria. Minha irmã comeu muito também. Então eu sentei ali. Olhei e comecei a conversar com todos ao meu redor. Eu sou mais, tipo… ela é mais do tipo, você sabe, detalhista. Eu sou mais tipo, ‘É um Minion.’ ” Uh-huh.

No dia que nos conhecemos, Brown não estava se sentindo muito bem. Provavelmente foi o stress da sua agenda (essa entrevista foi encaixada entre a visita na Casa Branca para conhecer o Presidente Obama e o início das gravações da segunda temporada, em Atlanta). Não pode ser por ter de memorizar suas falas, porque seu personagem praticamente não tem muitas, mas sim muitas cenas de olhares intensos e momentos de silêncio, entre alguns monólogos. Mas o que ela está comendo não parece estar nada tedioso. Ela bebe uma lata de Coca-Cola e reprova alguns snacks disponíveis, que a fazem se sentir culpada. “Eu comi toda a guacamole, e eu não me sinto muito bem com isso,” diz ela, antes de contrapor com o lado bom do seu lanche. “Mas você sabe, guacamole é bem saudável. É muito bom pra pele.”

Ela está pronta para outra lição: Muay Thai, cujo ela faz todos os dias. Mesmo com as advertências de sua agente, que a lembra que ela não está muito bem — algo que Brown parece ignorar completamente — e logo estamos em pé diante da mesa, prontas para uma disputa. Sua expressão muda, demonstrando concentração total.

“Mãos pra cima. Todas pra cima. Proteja o seu queixo.”

Ela é uma professora muito paciente. E focada. Ela faz um som de ‘tss’ entre a língua e os dentes a cada soco. “Se certifique que está vindo do seu diafragma. Daí você tem que desviar.” Aparentemente eu não desvio muito. “Desvie! Desvie!” ela repete. “Agora um jab, jab. Um-dois!” Ela solta um gancho de esquerda e rápidos jabs na minha direção, com uma força que me indica que provavelmente eu deveria fazer artes marciais, ou pelo menos atravessar a rua se eu me deparar com ela de novo. Nós fazemos um ‘toca aqui’. Ela pega meu gravador: “Isso, terminamos.”

Conversamos sobre outras coisas que a fazem uma criança normal. Por exemplo, ela gosta de pizza. Mas, como um adulto—um esquisito, britânico adulto—ela gosta de pizza com tuna (tipo de peixe), milho e presunto. Ela teve festas do pijama, inclusive com celebridades como Ziegler. Como qualquer outra criança, elas assistem filmes, recentemente assistiram a Blackfish, o documentário sobre manter baleias em cativeiro. E isso acabou nos levando a uma pequena aula de biologia. “Orcas são meus animais,” diz ela. “É meu mamífero favorito. Elas são mamíferos?” Eu digo a ela que mamíferos são aqueles que dão a luz a seres menores, o que a leva a uma pergunta: “Espera. Nós somos mamíferos?”

Eu digo que sim, ela é um mamífero, a não ser que tenha nascido de um ovo. Ela se volta para sua mãe para confirmar. O que levou a uma conversa um tanto quanto desconfortável para assistir a não ser que seja a sua própria família, ainda mais envolvendo uma celebridade pré-adolescente. Sua mãe começa a falar como ela nasceu de um ovo. Seu pai interrompe e pergunta se esse tipo de pergunta é normal para uma entrevista. Eu subitamente peço desculpas. A agente—talvez devido a algum tipo de lei que rege as entrevistas feitas com menores, ou talvez somente na tentativa de me salvar—decidiu que Brown já teve o bastante. A profissional (e criança, e pressupostamente mamífera) já terminou por hoje.

 

Não deixe de conferir também a HQ da photoshoot, que já está na nossa galeria:

Millie Bobby Brown Brasil © Todos os direitos reservados